Resenha do Livro: Mundo Cão

20.1.17


resenha mundo cão matheus peleteiro


Autor: Matheus Peleteiro | Ano: 2015
Páginas: 168 | Editora: Novo Século
Gêneros: Ficção, Literatura Brasileira | Adicione no Skoob

quatro estrelas


capa mundo cão matheus peleteiro
Sinopse: 
Unindo elementos de literatura marginal com sentimentos altruístas, surge Mundo Cão, que narra, em primeira pessoa, a história de Pedro Contino, um jovem que so­fre desde cedo por conta das peripécias da vida, e, por mais que busque o melhor, vê, em sua sombra, o caos. Morador da favela Roda Vida, Pedro poderia ter traçado qualquer caminho, mas a vida escolheu um em especial. Mesmo em meio à ausência de recursos, é apresentado à literatura por um vizinho mais velho, e, por conta dela, cria uma importante consciência social. Guiado por músicas e livros, ele logo percebe como tudo funciona. Indigna-se e, amargamente, percebe que não tem poder para realizar uma mudança no mundo…
O caos já faz parte dele, envolvendo-se com drogas, álcool, e, para completar, com as mais belas e loucas mulheres.

linha decorada


Mundo Cão é o segundo livro do autor que eu leio. Já estou um pouco mais familiarizada com o estilo de escrita de Matheus Peleteiro, e mais uma vez ele não deixa a desejar. Essa é uma história que não possui um final feliz, mas que traz uma importante mensagem sobre o peso que nossas escolhas têm na nossa vida.


+ Saiba mais sobre o autor Matheus Peleteiro
+ Leia a resenha de "Notas de um Megalomaníaco Minimalista"


Pedro é um rapaz de dezoito anos que foi criado pelos avós na favela Roda Viva. Ele procura independência e ter um lugar só seu e tem o grande sonho de ser um escritor. Foi apresentado ao mundo literário por meio do seu vizinho, Luís, ex-professor de sociologia, e por meio disso ele cria um senso crítico sobre a realidade a sua volta e questiona tudo e todos. 

Em meio a narrativa temos influência de autores consagrados, como Charles Bukowski, e de músicos importantes no cenário nacional, como Legião Urbana. Sendo assim, Pedro em uma narrativa em primeira pessoa, nos transporta do real para o ainda mais real, o mundo cão quem que vivemos. De forma coloquial e rápida, sem muitos detalhes, a verdade crua nos é mostrada.

O livro começa quando Pedro é acordado por barulho de tiros e um conhecido é encontrado morto. Frente à isso, ele se sente motivado a arranjar logo um emprego e sair da casa dos avós, pois não quer acabar como qualquer outro garoto da favela, entrando para o tráfico, onde há dinheiro fácil (e desonesto). 


"O mundo é um cão raivoso prestes a lhe devorar. E você deve conquistar uma parte dele antes que seja tarde demais e ele tenha lhe engolido por inteiro."

Pedro é envolvido no mundo da música, da bebida e das mulheres, mesmo que durante muito tempo tem se visto apaixonado por Carol. Até então, nunca tivera a real coragem para se aproximar dela. E durante as páginas veremos o seu desenvolvimento romântico e profissional. Posso adiantar que este é um daqueles livros que não tem aquele final previsível e comum. 

Mundo Cão é um livro curto, que li em mais ou menos dois dias. Demorei a criar um ritmo bom devido a quantidade de monólogos, o que acabou tornando a minha leitura bem mais lenta, porém não menos proveitosa. Não foi cansativo exatamente pelo fato de que o autor deixou de lado detalhes supérfluos para focar nas reflexões. Já não é mais segredo para ninguém que gosto de livros que me fazem pensar, certo? Assuntos como desvalorização dos artistas nacionais, influência da globalização e a falta de progresso são abordadas. Para quem gosta de assuntos políticos, é um prato cheio. 

A única coisa que não gostei muito foi a falta de desenvolvimento das outras personagens da trama, o que poderia ter transformado o simples em algo muito mais completo. A diagramação é simples, porém, bem feita. Há notas no rodapé explicando cada referência feita. Mundo Cão é um ótimo livro, embora não o melhor. 

desafio literário livreando 2017
Livro que você ganhou


Este livro completa o item "Livro que você ganhou" de Janeiro do Desafio Literário Livreando 2017, uma vez que eu o recebi por meio de parceria com o autor.



parágrafos e travessões

Um comentário:

  1. Gostei da história, é importante lermos livros que retratem a realidade em uma favela brasileira, tomamos um conhecimento e uma consciência enorme sobre o assunto!

    Blog aboutbooksandmore.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.